You are currently browsing the tag archive for the ‘mediunidade’ tag.

Nosso boletim de junho/2017

baixe gratis, clique aqui.

Já disponível nosso boletim deste mês.

baixe clicando aqui.

Inscrevam-se em nosso canal no Youtube.

caminheirosdaluz Osvaldo Cruz-SP

https://www.youtube.com/channel/UCiemlx1pcEHlS_RCnrE_G4w

 

Já disponível nosso boletim do mes de abril/2017

para baixar, clique aqui,

EVANGELHO E VIDA

Esta mensagem foi recebida psicofonicamente, pelo médium Francisco Cândido Xavier. Compõe-se de uma poesia e comentários.

“No mundo de hoje, há boa vida e há vida boa.

Boa vida é bem estar.

Vida boa é estar bem,

Por isso, temos criaturas de boa vida e criaturas de vida boa.

As primeiras servem a si mesmas.

As segundas respiram no auxílio incessante

aos outros.

A boa vida tem rastros de sombra.

A vida boa apresenta marcas de luz.

A desordem favorece a boa vida

A ordem garante a vida boa.

Palavra enfeitada costuma escorar boa vida.

Bom exemplo assegura vida boa.

Preguiça mora na boa vida.

Trabalho brilha na vida boa.

Ignorância escurece a boa vida.

Educação ilumina a vida boa.

Egoísmo alimenta a boa vida.

Caridade enriquece a vida boa.

Indisciplina é objetivo da boa vida,

Disciplina é roteiro de vida boa.

Vejamos as lições do Evangelho.

Madalena, obsidiada, perdera-se nos enganos da boa vida, mas encontrou em nosso Divino Mestre a necessária orientação para a vida boa.

Zaqueu, afortunado, apegara-se em demasia às posses efêmeras de boa vida, entretanto, ao contacto de Nosso Senhor, aprendeu como situar os próprios bens na direção da vida boa.

Judas, o discípulo invigilante, procurando a boa vida, entregou-se à deserção, e sentindo extrema dificuldade para voltar à vida boa, foi colhido pela loucura.

Simão Pedro, o apóstolo receoso, tentando conservar a boa vida, instintivamente negou o Divino Amigo por três vezes , contudo, regressando, prudente, à vida boa, abraçou o sacrifício pela própria  ascensão, desde o dia do Pentecostes.

Pilatos, o juiz dúbio,interessado em desfrutar boa vida, lavou as mãos quando o destino do Excelso Benfeitor, adquirindo o arrependimento e o remorso que o distanciaram da vida boa.

Todos os que crucificaram Jesus pretendiam guardar-se nas ilusões da boa vida, no entanto, o Senhor preferiu morrer na cruz da extrema renúncia para ensinar-nos o caminho da vida boa.

Como é fácil observar, nas estradas terrestres há muita gente de boa vida e pouca gente de vida boa, porque a boa vida obscurece a alma e vida boa mantém a consciência acordada para o desempenho das próprias obrigações.

Estejamos, pois, alertas quanto à posição que escolhemos, porquanto, pelo tipo de nossa experiência diária, sabemos, com segurança, em que espécie de vida seguimos nós.”

A vigilância constante deve sempre nos acompanhar em tudo que fazemos.

Sônia Aparecida Ferranti Tola

Disponivel nosso boletim de março/2017

clique aqui.

Amigos

Disponibilizamos o boletim do mês de dezembro/2016.

Baixar grátis, clique aqui.

ESPERANÇA CONSTANTE

 

                “O pessimismo é uma espécie de taxa pesada e desnecessária sobre o zelo que a responsabilidade nos impõe, induzindo-nos à aflição inútil.

Atenção, sim.

Derrotismo, não.

Para que nos livremos de semelhante flagelo, no campo íntimo, é aconselhável desfixar o pensamento, muitas vezes, colado a detalhes ainda sombrios da estrada evolutiva.

 

Para que se sustente desperto o entendimento, quanto à essa verdade, recordemos as bênçãos que excedem largamente às nossas pequenas e transitórias dificuldades.

É inegável que o materialismo passou a dominar muita gente, perante o avanço tecnológico da atualidade terrestre, contudo, existem admiráveis multidões de criaturas, em cujos corações a fé se irradia por facho resplendente, iluminando a construção do mundo novo.

As enfermidades ainda apresentam quadros tristes nos agrupamentos humanos; no entanto, é justo considerar que a ciência já liquidou várias moléstias, dantes julgadas irreversíveis, anulando-lhes o perigo com a imunização e com as providências adequadas.

Destacam-se muitos empreiteiros da guerra, tumultuando coletividades; todavia, os obreiros da paz se movimentam em todas as direções.

Muitos lares se desorganizam; mas outros muitos se sustentam consolidados no equilíbrio e na educação, mantendo a segurança entre os homens.

Grande número de mulheres se ausentam da maternidade; entretanto, legiões de irmãs abnegadas se revelam fiéis ao mais elevado trabalho feminino no Planeta, guardando-se na condição de mães admiráveis no devotamento ao grupo doméstico.

Os processos de violência aumentam, quase que em toda parte; ampliam-se, porém, as frentes de amor ao próximo que os extinguem.

 

Anotando as tribulações que se desdobram no Plano Físico, não digas que o mundo está perdido.

Enumera as bênçãos de Deus que enxameiam, em torno de ti.

 

E se atravessas regiões de trevas, que se te afiguram túneis de sofrimento e desolação, nos quais centenas ou milhares de pessoas perderam a noção da luz, é natural que não consigas transformar-te num sol que flameje no caminho para todos, mas podes claramente acender um fósforo de esperança.”

Como todos nós temos livre arbítrio, podemos ou não ajudar os outros. Mas devemos, pois é isso que o Pai Eterno espera de nossa parte.

 

Maria Madalena Naufal

 

FONTE

 

                ATENÇÃO – Francisco Cândido Xavier – Emmanuel – Instituto de Difusão Espírita

CRÔNICAS QUE ME CONTARAM

  • A MÃE INTELIGENTE

 

Antônia era uma senhora muito inteligente. Era funcionária pública aposentada. Viúva cedo, criou os dois filhos: Raul e Maurício com muito sacrifício. Não quis mais se casar, apesar de receber muitos pedidos, pois era uma mulher muito bonita.

Raul e Maurício quando pequenos quase não brigavam, mas assim que cresceram, as discussões eram constantes, para desgosto de Antônia.

Certo dia as discussões estavam terríveis, até que Raul, o caçula, falou com raiva:

_ Vou embora desta casa.

Antônia interviu:

_ Vocês dois vão, já que não sabem viver como irmãos educados, pois jogaram no lixo tudo que lhes ensinei. Os dois sairão da casa e eu também. A casa abandonada ficará fechada. Não precisam ir me visitar. Já que a família acabou, acabou para sempre.

Os dois rapazes estavam perplexos. Jamais a mãe havia dito tal coisa. Sempre procurava acalmá-los, apaziguá-los.

Raul desesperou-se. Correu e abraçou a mãe.

_ Não! Eu não vou embora. Falei por nervosismo.

_ Eu também não vou embora – disse Maurício, que se levantou da cadeira e correu a abraçar a mãe.

Antônia, abraçada pelos dois filhos, disse-lhes calmamente:

_ Bem, já que ninguém vai embora, permanece a família. Só que vocês dois têm que parar de brigar. Tratem de se entender.

É óbvio que Antônia não tinha a mínima intenção de deixar a sua casa, mas usou de um estratagema para modificar a insustentável  situação entre os dois filhos.

Daquele dia em diante os rapazes passaram a analisar o que falavam e em pouco tempo  tornaram-se amigos.

Antônia ficou muito feliz. Usando a inteligência deu um jeito na situação em que viviam.

 

  • A MUDANÇA DE AMÉLIA

 

Andréia era uma senhora que possuía cinco filhas e um filho. As meninas chamavam-se Aline, Sabrina, Gilda e Amélia. O menino chamava-se Milton.

O menino e quatro das meninas eram obedientes, mas Amélia era o oposto. Não obedecia os pais, fazia coisas erradas e vivia brigando com os irmãos.

Andréia não entendia o que estava acontecendo. Amélia recebia a mesma educação que os outros, mas não tinha o mesmo comportamento.

Perto da casa de Andréia morava uma senhora espírita. Ela procurou ajuda com a dita senhora, cujo nome era Ricarda.

Ricarda ouviu Andréia e depois lhe disse:

Os pais formam o corpo do filho, mas o espírito vem de Deus. Por isso os filhos podem ser diferentes. Tirando Amélia, seus outros filhos fazem parte de uma família espiritual bem formada.  Por isso têm bom comportamento. Amélia é um espírito cheio de defeitos. Veio para vocês tentarem ajudá-la.

Para que Andréia entendesse  melhor o assunto, Ricarda falou-lhe sobre reencarnação,

Que atitude tomar? Esclarecida, Andréia reuniu os filhos (menos Amélia) e contou-lhes a conversa que tivera com Ricarda.

_ Eu acho que devemos ter mais paciência com Amélia – disse Milton.

_ Eu também acho – concordou Aline. Quando ela ficar brava e começar a xingar, vamos ficar quietos. É uma forma de ajudá-la.

Amigos

Divulgamos um vídeo da palestra proferida.

“Doutrina Espírita”

Assistam.

Ajudem na divulgação

Disponível nosso boletim deste mês,

baixe grátis, clicando aqui.

SAUDAÇÃO

BENVINDOS AO NOSSO BLOG !

A Equipe “CAMINHEIROS DA LUZ”

Edson Luís da Silva,
Sandra Marcia Saraiva
Sônia Aparecida Ferranti Tola
(Maria Madalena Naufal - in memorian)
Sandra Raquel Nicoleti

CONTATO: caminheirosdaluz@gmail.com

Osvaldo Cruz-SP

Estatística

  • 83,756 hits

Calendário

junho 2017
S T Q Q S S D
« maio    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930