TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

A escritora Sara Nousiainen trata desse assunto na sua obra “Chegou a Hora e Agora? – Editora Aliança.

Escreveu ela: “A finalidade deste trabalho não é a de especular sobre acontecimentos profetizados para esta época de transição, porque isto em nada iria nos ajudar. O que podemos fazer agora é nos preparar devidamente, “acendendo nossas luzes”, credenciando-nos, assim,  a transitar junto com a Terra para o mundo de regeneração.

A maioria dos que estudam e procuram interpretar o Apocalipse, prendem-se às profecias catastróficas, ignorando o “depois”, e como é impossível saber o que realmente vai acontecer, o mais sábio é nos prepararmos para esse “depois”, ou seja, nos adequarmos devidamente a ser incluídos no mundo de regeneração.

Assim como estamos transitando de um mundo de provas e de expiações para outro modelo, o de regeneração, é importante entender com mais exatidão o que significa essa regeneração. Será apenas no sentido moral-espiritual, ou seja, a reforma interior?

Pelo desenvolvimento de ideias novas, de novos paradigmas e de nova mentalidade nos mais diversos segmentos humanos, inclusive pelo que indicam o bom senso e a lógica dentro dos conceitos  espíritas, é necessário começarmos a perceber a maior abrangência dessa questão.

Se essa regeneração ocorre pela evolução do ser humano, que passa a respirar em mais elevados patamares morais e espirituais, isto forçosamente deverá implicar evolução em todos os demais sentidos, inclusive no de seus próprios potenciais mentais e espirituais.

Sendo assim, pensemos na necessidade de ampliar o conceito de reforma interior para evolução espiritual, que é bem mais abrangente”.

A seguir a autora explica porque é tão importante evoluir espiritualmente: “Além da possibilidade de reprovação no exame final do atual ciclo evolutivo da Terra, com a consequente permanência em um grau inferior, podemos apontar outras duas razões, cada qual mais importante: melhorar as próprias condições de vida; colaborar na transformação da Terra.

Se as condições externas são importantes para o nosso bem-estar, as internas são muito mais. As externas, modifica-se, são transitórias. Num momento podemos estar muito bem, com saúde, família, profissão e recursos materiais, tudo em harmonia com os nossos desejos. Mas não há qualquer garantia de que isto não possa mudar de um instante para outro. Num segundo, milhões de pessoas veem suas vidas e felicidade destroçadas, caindo do topo do bem-estar ao abismo dos sofrimentos.

Já as condições internas mais maduras, mais bem desenvolvidas, são a nossa âncora segura nos momentos difíceis e a garantia de bem-estar nas horas leves; são geradoras de saúde e equilíbrio físico, além de balizas que sinalizam e definem  nossas programações de vida para os futuros anos  e próximas encarnações”.

Nessa fase que estamos tudo é muito confuso, “mas se já conseguimos compreender o momento atual, por certo havemos de aperceber também da urgente necessidade de trabalhar pelo nosso crescimento como seres cósmicos que somos, não apenas pensando no nosso próprio progresso, mas também em poder colaborar de forma a mais intensa possível nesta grande transição.

Vemos, então, como a evolução espiritual é excelente para quem consegue realizá-la: enriquece com valores espirituais; ajuda a transmutar o energismo pesado do inconsciente, limpando-o, e se reflete de forma positiva na vida material, em todos os sentidos. Para isso, no entanto, é preciso que a pessoa esteja realmente decidida a limpar o lixo dos pensamentos baixos, agressivos e mesquinhos, o coração dos ódios, mágoas, rancores e falsidades, e a substituir tudo isso pelo amor fraterno, a alteridade, a humildade, procurando direcionar-se sempre pelas leis cósmicas. Também é muito importante a religiosidade, ou seja, aquele sentimento de pequenez diante do Criador, de admiração pela Sua sabedoria, poder e perfeição, que se manifestam em toda a criação, desde as coisas mais simples, como o germinar de um grão de feijão, até às mais complexas, como a fabulosa mecânica cósmica. Essa admiração é o primeiro passo para se amar a Deus, já que é impossível amar-se alguém só porque nos mandam fazê-lo”.

Devemos começar a minimizar certos valores e  passarmos a valorizar mais nossos próprios potenciais, procurando conhecê-los, desenvolvê-los e usá-los  em benefício do próximo e em proveito do nosso crescimento.

 

Sônia Aparecida Ferranti Tola

Anúncios