DECÁLOGO DA DESOBSESSÃO

A IDE Editora reuniu 37 mensagens de 11 obras de André Luiz, psicografadas por Francisco Cândido Xavier, publicando-as em uma obra que foi denominada “Meditações Diárias”. Entre essas mensagens há uma que recebeu o título de Decálogo da desobsessão. Vamos a ela:

Não permita que ressentimento ou azedume lhe penetrem o coração.

Abençoe quantos lhe censuram a estrada sem criticar a ninguém.

Jamais obrigue essa ou aquela pessoa a lhe partilhar os pontos de vista.

Habitue-se a esperar pela realização dos seus ideais, trabalhando e construindo para o bem de todos.

Abstenha-se de sobrecarregar os seus problemas com o peso inútil da ansiedade.

Cesse todas as queixas ou procure reduzi-las ao mínimo.

Louve, – mas louve com sinceridade, – o merecimento dos outros.

Conserve o otimismo e o desprendimento da posse.

Nunca se sinta incapaz de estudar e aprender, sejam quais forem as circunstâncias.

Esqueçamo-nos para servir”.

O texto é curto, mas os seus ensinamentos são de alto valor para nós. Mesmo que ainda não consigamos cumprir todo o decálogo, procuremos, ao menos, tentar. A reforma íntima não deve conhecer tréguas. Devemos caminhar sempre para a frente e para o alto. Diz um ditado popular “o pouco com Deus é muito”. Que cada um dê de si o que pode. Um dia poderá muito. Afinal é da Lei Divina que o progresso ocorra. O importante é caminhar e nunca estacionar, como se a vida que o Pai nos deu não tem nenhum valor. Ela deve ser usada para o bem nosso e do nosso próximo. Vida digna, operosa, mesmo que ainda sejamos portadores de muitos defeitos.

Sônia Aparecida Ferranti Tola

Anúncios