CONFISSÕES DE SANTO AGOSTINHO

 

Santo Agostinho (354-430), é um dos maiores divulgadores do Espiritismo, pertence à falange dos Pais da Igreja, a quem segundo Erasto, discípulo de São Paulo, a cristandade deve as suas mais sólidas bases. O clarão da verdade arrancou-o do paganismo (era maniqueu), mostrou-lhe que a felicidade não estava nos prazeres enervantes e fugidios.

Ao perder sua mãe Santa Mônica, esse firme pilar do Evangelho, pronunciou: estou certo de que minha mãe virá visitar-me e dar-me os seus conselhos, revelando-me o que nos espera na vida futura”, Foi, realmente, uma bela previsão da doutrina a ser codificada por Allan Kardec na segunda metade do século XIX.

Ao escrever as Confissões, numa exposição de todos os seus sentimentos e conflitos até a reconquista da fé, Agostinho dirige-se principalmente a Deus.   Mas não esquece o rebanho que lhe foi confiado (era bispo de Hipona): Quem eu sou neste exato momento é o que desejam saber muitos. Mas para que desejam saber isso? Para congratular-se contigo. ó Senhor, ouvindo que eu avancei por obra Tua pelo Teu caminho, e para rezar por mim, sentindo quanto meu peso me faz retardar o meu passo, Se assim fôr,é para esses que falo”.

Sônia Aparecida Ferranti Tola

Anúncios