Volitando no espaço

Vi uma senhora de azul.

Sorria e estendia os braços.

Fui até o lugar em que estava,

Pensando em abraçá-la.

Mas, eis que diante dela,

Vi o Chico Xavier.

Abraçou-o comovida

E chamou-o de filho querido

Que pôs sua “besta”

A serviço de milhões

De criaturas desvalidas.

Trabalho de gigante espiritual

Que nunca fez o mal,

E sim todo o bem possível,

Sem nunca desanimar.

Foi grande a sua dor

Num mundo ainda ingrato.

Fez por dever e por amor,

Cumprindo a bendita missão

Que Deus em suas mãos colocou

Um século atrás.

Outra missão o espera,

Pois a vida não tem fim.

O missionário verdadeiro

Serve no mundo inteiro

E em outras esferas de Deus.

Maria Anastácia

(Psicofonia de Sônia Aparecida Ferranti Tola)

Anúncios